Gaspar abre inscrições para curso de culinária

Se a escola é um lugar de ensinamento e aprendizagem, por que não estender essa prática a toda comunidade? Pensando nisso que o Colégio Gaspar Silveira Martins organiza um novo curso de culinária aberto para o público em geral. Mas é preciso atenção, já que são apenas 12 vagas e as inscrições começam na próxima segunda-feira, 23, na secretaria da escola. O curso custa R$ 50 reais e inclui degustação ao término da oficina.

A atividade acontecerá na própria cozinha do Gaspar, no dia 14 de maio, entre 18h30min e 21h30min. Será uma oficina de risotos, a partir do seguinte cardápio: risoto de funghi (cogumelos), risoto de filé, aspargos e queijo brie, além de risoto de rúcula e tomate seco.

Segundo uma das organizadoras, Débora Parraga, o cardápio surgiu dos próprios participantes das edições anteriores. 'Buscamos sempre trazer propostas diferentes, que combinem com a época do ano ou que sejam do interesse do público. No fim do ano passado, a temática foi Delícias Natalinas. Posteriormente, para o inverno, pensamos em um curso de seis horas, ou dois encontros de culinária italiana', revela Débora.

Conforme a organizadora, um dos objetivos é aproveitar a estrutura da escola para outras atividades. 'Como temos o serviço de almoço para os alunos, já dispomos de uma estrutura maior que uma cozinha normal. Então por que não utilizá-la para outras atividades? Todos podem participar das oficinas', destaca.

O curso de culinária oferecido pelo Gaspar é feito em parceria com o Senac de Santa Cruz do Sul. Quem irá ministrar a oficia de risotos é a Orientadora Educacional de Gastronomia do Senac, Cátia Leal Silveira. Segundo ela, as oficinas são desenvolvidas de modo que os alunos possam aprender a cozinhar e desenvolver técnicas gastronômicas. ' O intuito é desenvolver pratos 'domésticos' para confraternizar com amigos e familiares ou para aqueles que desejam simplesmente aprimorar sua culinária. É importante aprender a manipular para poder reproduzir em casa', destaca.

Cátia salienta ainda que é possível envolver a construção de saberes em diferentes áreas, como alimentação, sustentabilidade, praticidade, cultura e afeto. 'Não existe restrição e sim, apaixonados pela cozinha, pessoas que querem fazer destes momentos uma terapia ou desenvolvimento profissional.'

Por Débora Kist - Folha do Mate